Para quem ama cotidiano

cotidiano

Tornar-me celebrante de casamentos foi uma realização entre unir a paixão pelas palavras e o prazer em descobrir e revelar as histórias por trás dos relacionamentos. Meus pais foram os responsáveis por me inspirar. Casados há 28 anos, o amor dos dois ultrapassa obstáculos, o tempo e a doença do meu pai. Meu pai completou…

É sobre te abraçar e sentir a textura da sua blusa de manga longa nos dias frios. É sobre a companhia na sexta-feira à noite, de pijama, cabelo desarrumado e novela das nove. É sobre o almoço durante a semana, entre aquele intervalo de trabalho. É sobre o cheiro tão característico do perfume e aquele…

Eu não cogitava viver sem você. Não só não cogitava, como não poderia, já que, a partir do momento em que eu acordava, todos os meus pensamentos eram direcionados a você. Eu esperava o seu bom dia, o nosso almoço, o momento em que nos veríamos novamente à noite. Eu precisava de você para tudo,…

É preciso diferenciar bem: dificuldades no cotidiano são bem diferentes de um cotidiano de dificuldades. E isso serve para absolutamente tudo na vida: trabalho, relacionamento, lazer. Dificuldades são intrínsecas à vida e elas sempre estarão ali para deixar os seus dias um pouco mais nublados. No entanto, o problema se encontra quando, em meio ao…

Tenho aplicado a lei que rege os Alcoólicos Anônimos: “só por hoje”. Só por hoje eu não vou pensar em você. Só por hoje não vou mandar uma mensagem no WhatsApp, mesmo que o status online pareça me convidar. Só por hoje vou pensar no quanto eu chorei nos últimos meses. Só por hoje vou…

É fácil amar quando tudo é fácil, quando o cotidiano mais parece um mar de rosas. Quando o outro se encaixa perfeitamente em tudo que você sonhou. Difícil é amar, apesar de. Apesar dos problemas, das diferenças, das discussões, dos traumas. Difícil é amar contra as evidências, além das aparências. Amar torna-se, portanto, ato de…

“Para começar, o tempo nos dirá e nada como um dia após o outro.” Como no trecho da belíssima canção do Tiago Iorc, as decepções são inevitáveis e só dependem do tempo para serem curadas. A gente se decepciona com o péssimo resultado na escola ou no trabalho, com os imprevistos do dia a dia…

Quando eu tinha uns 11 anos, meu pai chegou em casa com a ideia de tirarmos as rodinhas da bicicleta. Afinal, eu e minha irmã já estávamos grandinhas para precisar delas. Só que a ideia não me agradou muito. Era tão bom andar daquele jeito, com aquela segurança. No entanto, a vontade de meu pai…